mindfulness em idosos

Efeitos do Mindfulness em idosos com Comprometimento Cognitivo Leve

Este é o primeiro estudo longitudinal observacional de métodos mistos que utilizou o programa de oito semanas de intervenção baseada em mindfulness com idosos com Comprometimento Cognitivo Leve acompanhados de um familiar de apoio, em que foram considerando as práticas formais e informais, e seus efeitos a longo prazo. As variáveis consideradas foram a função cognitiva, saúde psicológica, traço de mindfulness, adesão a prática de mindfulness, e atividade de vida diária. Os dados foram coletados durante a pré-intervenção, pós-intervenção e após um ano de follow-up.

O estudo foi feito inicialmente com 14 idosos com idade entre 60 e 89 anos, que apresentavam o diagnóstico de Comprometimento Cognitivo Leve. O critério de exclusão considerados foram participantes que tivessem fazendo nenhum tipo de intervenção psicoativa medicamentosa nos últimos três meses que antecederam a primeira sessão de coleta de dados, que tiveram dependência de drogas ou álcool nos últimos cinco anos, que tivessem realizando alguma intervenção cognitiva de estimulação eletromagnética e que já tivessem experiência prévia com meditação ou yoga.

As intervenções baseadas em mindfulness consistiam em oito encontros semanais de uma hora e meia com os idosos com Comprometimento Cognitivo Leve, que poderiam ser acompanhados de algum familiar de apoio. Aos participantes foram dados um manual do programa, um disco compacto com áudios de gravações de práticas guiadas de mindfulness para auxilia-los nas suas práticas diárias em casa. No Programa eram ensinadas as práticas formais e informais. As primeiras consistiam nas técnicas de escaneamaneto corporal, a atenção plena na respiração e a meditação de loving-kindness. As práticas informais consistiam na tomada de consciência nas atividades diárias como o minful eating e a caminhada com atenção plena e realizar atividades mentais como leitura e montar quebra-cabeça.

Dos 14 participantes recrutados para esse estudo, um desistiu após a primeira sessão de treinamento de mindfulness, 13 participantes participaram das coletas de dados da pré e da pós intervenção, e um não continuou com a pesquisa até o follow-up, totalizando 12 participantes que continuaram até o final da pesquisa. Para a coleta de dados foram aplicados os questionários Montreal Cognitive Assesment (MoCA) para medir os domínios cognitivos, o 21-item Depression Anxiety Stress Scale (DASS-21) para medir a saúde psicológica, o traço de mindfulness foi medido pelo Freiburg Mindfulness Inventory (FMI), para a atividade de vida diária foi utilizado o Bayer Activities of Daily Living Scale (B-ADL), e a adesão dos participantes foi medida  pelo Mindfulness Adhence Questionnaire (MAQ), desenhado especialmente para essa pesquisa.

Após a aplicação dos questionários nas três fases de coleta de dados foi possível notar que, após o programa de oito semanas e as práticas diárias de mindfulness pelos participantes, as funções cognitivas e os traços de mindfulness tiveram um aumento significativo com o passar do tempo. Além disso, os idosos que meditavam mais vezes ao longo das 59 semanas, entre o início do programa e o primeiro ano follow-up, apresentaram melhor no desempenho também nas funções de atividade de vida diária quando comparado com os que meditaram com uma frequência menor durante o período.

Também foi notado que os participantes que tiveram uma média maior que os demais nas medidas de práticas informais ao longo das 59 semanas, obtiveram maiores resultados nos traços de mindfulness. Contudo, foi apresentado uma correlação negativa entre o desempenho das funções cognitivas dos participantes e a frequência de práticas informais na coleta de dados pós-intervenção, os autores do artigo acreditam na possibilidade desse resultado ter ocorrido devido aos participantes com melhores funções cognitivas serem mais inflexíveis ao se colocar no lugar de observar seu próprio estado de tomada de consciência nas atividades cotidianas durante as primeiras semanas do programa. Além disso, dentro desta pesquisa não foi percebido alterações significativas nas medidas de saúde psicológica de depressão, ansiedade e estresse nos participantes como demonstrado em outros estudos de mindfulness.

Conclusão:

Como um todo, a partir da leitura desse artigo foi possível refletir sobre os possíveis impactos positivos que as prática de mindfulenss podem gerar a longo prazo em idosos acima de 60 anos com Comprometimento Cognitivo Leve. O programa de oito de semana de intervenções baseadas em mindfulness demonstrou ter resultados positivos no aprimoramento das funções cognitivas, atividades de vida diária e aumento do traço de mindfulness. Também foi possível observar uma boa adesão por parte dos idosos em incluir o treinamento de mindfulness em sua rotina diária, por isso a importância do acompanhamento de um familiar de apoio para supervisionar essas atividades junto com o idoso durante o programa.

Contudo, dentro desse estudo foi a possível perceber uma limitação que foi a falta de um grupo controle para comparar os resultados e o fato de amostra ser bem pequena devido o baixo número de participantes adequados disponíveis para compor a amostra. Dessa forma, apesar de resultados promissores, futuros estudos com o público idoso com esse tipo de comprometimento devem ser conduzidos com a partir de diferentes metodologias e/ou a reaplicação do experimento para constatar a eficácia do programa de de intervenção baseado em mindfulness em idosos com comprometimento cognitivo leve.

 

Título do artigo original em inglês:

The Effects of Mindfulness on Older Adults with Mild Cognitive Impairment

Autores:

Wee Ping Wonga,∗, Jan Colesa, Richard Chambersb, David Bin-Chia Wuc and Craig Hasseda

aDepartment of General Practice, School of Primary and Allied Health Care, Faculty of Medicine,Nursing and Health Sciences, Monash University, VIC, AustraliabCounselling and Mental Health Programs, Campus Community Division, Monash University, VIC, Australia cSchool of Pharmacy, Monash University Malaysia, Subang Jaya, Selangor, Malaysia

 

Link para o artigo original:

https://content.iospress.com/articles/journal-of-alzheimers-disease-reports/adr170031

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *