MBCT Brasil

O Programa de MBCT foi desenvolvido nos anos 90 por Zindel Segal, (Toronto), John Teasdale (Cambridge), e Mark Williams (Oxford), com o objetivo inicial de reduzir e prevenir recaídas de depressão. Evidências indicam que a repetição de episódios depressivos está associada a maiores chances de novos episódios depressivos, o que levou os autores a buscarem outras formas efetivas para prevenção de recaída (Segal, Williams e Teasdale, 2013).


Ele é um programa de 8 semanas baseado no “Mindfulness-Based Stress Reduction” (MBSR) desenvolvido por Jon Kabat-Zinn na Universidade de Massachusetts, e na Terapia Cognitiva Comportamental (TCC). O programa de MBCT inclui práticas meditativas simples que auxiliam o participante a estar mais conscientes de sua experiência no momento presente. Ele também inclui uma educação básica sobre depressão e exercícios advindos da TCC que mostram ligações entre os pensamentos e os sentimentos, além de mostrar como os participantes podem cuidar de si mesmos quando notam alguma alteração de humor, por exemplo.


Diferentemente da TCC, as abordagens baseadas em mindfulness não tem como objetivo mudar o conteúdo dos pensamentos negativos. Na verdade, elas encorajam o participante a mudar sua relação com esses pensamentos, sensações ou sentimentos, lhes dando uma oportunidade para descobrir que estes são transitórios e impermanentes, podendo, assim, escolher se engajar com eles ou não.


Ensaios clínicos controlados apresentaram evidências de que o MBCT diminui a possibilidade de ter-se uma recaída depressiva de 30 a 50% em pessoas que já tiveram três ou mais episódios depressivos. Outras evidências sugerem que o programa de MBCT também pode ser efetivo no caso de pessoas cuja depressão não responde a tratamentos tradicionais, como antidepressivos e terapia cognitiva.